Comporta Café e Dona Bia

Eu até acho que não sou uma pessoa facilmente influenciável mas tenho constatado não raras vezes que tenho sido um bocadinho anjinha quando converso com algumas pessoas sobre locais que visitaram ou restaurantes que experimentaram. O fenómeno “passei férias na Comporta e, ôça, é formidável” tem-se instalado de forma muito forte nos últimos anos e confesso que tinha alguma curiosidade em lá ir.. arranjamos um fim de semana prolongado e lá nos instalamos no fabuloso Tróia Design Hotel ali bem perto da pequena vila que se tornou no Diamante deste pequeno país.
Pela mão dos Espírito Santo a região recebeu a visita de VIPs internacionais que vieram passear a beleza e relaxar sem a confusão das grandes cidades europeias num ambiente supé calmo e sem rede de telemóvel. Alguns terão até ficado alojados nas humildes casas da Herdade da Comporta, responsável pela caída do BES, nas giríssimas praias do Carvalhal e do Pego. Imagino que passear na mesma areia que foi pisada por elementos da família Grimaldi, pelo próprio Louboutin ou pela rainha Rania da Jordânia possa ser para muitos uma verdadeira honra e motivo suficiente para pagar pequenos balúrdios por uma estupenda barraca com acabamento em palha e pé na areia. Umas férias eco-chiques ficam fabulosas nas redes sociais com os hashtags da moda à caça de gostos.

Decidimos marcar restaurante para o almoço e para o jantar.

Depois de 5 minutos de pesquisas na internet concluímos que as ofertas de restauração eram escassas e se dividiam entre:
– 2 ou 3 restaurantes típicos que já cá estavam muito antes de todo o pessoal boho-chic e do pessoal “quero uma mala da chanel preta daquelas que vai bem com tudo” cá chegar
– alguns restaurantes de praia com preços bem acima do razoável
– restaurantes instalados nos hotéis e herdades cujos menus têm chefs conceituados como consultores. Não obrigada.

Decidimos experimentar o Comporta Café ao almoço e o Dona Bia ao jantar.

O Comporta Café fica mesmo na praia da Comporta e, em ex aequo com o Sal na praia do Pego, é considerado o melhor restaurante de praia da região nos sites e blogs da especialidade. Para bar de praia não está mal mas na minha opinião o L’Kodac em Leça da Palmeira dá-lhe 10-0. Ôça, uma praia que é visitada por gente tão requintada merecia melhor… os preços proibitivos do peixe e marisco acabaram por empurrar-nos para um esparguete com tomate seco, mangericão e pinhões e um caril de gambas. Acompanhamos com sangria. 24€/pessoa sem entradas nem sobremesas. Podem tirar as vossas conclusões. I rest my case.

img_1723

img_1691

img_1703img_1705
À noite a coisa foi diferente.. no Dona Bia, um restaurante tradicional onde os ingredientes da região se destacam, deliciamo-nos com: salada de polvo, pataniscas de bacalhau, o incontornável arroz de garoupa e camarão, um branquinho da herdade do peso a acompanhar. Para terminar uma sobremesa para cada um. 20€/pessoa.
Lamento não ter fotografias, recomendo vivamente!! O arroz de garoupa é fabuloso, suponho que os restantes também.

É tempo de rumar à cidade grande para mais umas aventuras gastronómicas.

Boas garfadas. Catorreira pra vocês.
Eva