L’AND

A minha querida irmã costuma dizer que para ela o trabalho e a rotina do dia a dia passam mais rápido e de forma menos esforçada se tiveres um objectivo no final. Não quer dizer que seja no final desse dia, pode ser um objectivo que te compense a médio ou longo prazo… Passar um fim de semana prolongado naquele hotel que há tanto tempo anda debaixo de olho, comprar uns sapatos novos ou só uma coisa mais simples como um banho de espuma no final do dia daqueles mesmo com água bem quente, espuma até aos olhos e sem telemóvel a tocar.
Este ano o meu objectivo (um dos) era finalmente visitar o L’AND, mais um bom conselho da minha sis.
À chegada acompanharam-nos a uma mesa recatada e tranquila a nosso pedido para que os restantes clientes não se sentissem incomodados com o constante clack da máquina fotográfica. A atmosfera que se gera ao jantar num local como este, com a tranquilidade da noite em pleno Alentejo não deve ser interrompida por barulhos inconvenientes. Há qualquer coisa de incrível numa mesa bem posta que para mim funciona como terapia antistress. Adoro quando sei que sou recebida por pormenores como uma toalha passada a ferro depois de estendida na mesa, o jogo de copos colocado de forma estratégica e bem ponderada em torno do prato ou os talheres dispostos rigorosamente ao milímetro.
_MG_1532 _MG_1530  _MG_1531
_MG_1475  _MG_1482
Decidimos que um dia não são dias, venha de lá esse menu de degustação…
Sopa de peixe da costa vicentina com tosta fina de pão alentejano com lagostim braseado e maionese de açafrão e lima.
_MG_1491  _MG_1480
L'And _MG_1510
Tataki de atum em mil folhas, compota de cebola roxa e chutney de manga com salada de rabano, coentros e bergamota.
_MG_1502   _MG_1503
Salmonete de Setúbal na salamandra com açorda de berbigão, lulas salteadas e caldo de caldeirada com salada crocante.
_MG_1513   _MG_1514
Lombinho de porco de raça alentejana assado lentamente, gratin de couve-flor, salteado de espargos, ervilha e morcela regional.
_MG_1518   _MG_1515
Tiramisu de pistacho com chocolate branco e cerejas confitadas, gelado de café e crocante de chocolate tainori.
_MG_1524   _MG_1522

 

Duo de cenoura sobre terra de pistacho com espuma de açafrão e gengibre e gelado de mel.

_MG_1526   _MG_1519

A tranquilidade do Alentejo fica entranhada em quem por lá passa, a simpatia das pessoas é especial e muito típica. No L’AND fomos recebidos de forma inigualável e irrepreensível. Uma experiência mesmo especial.

Meses mais tarde soubemos que o Chef Miguel Laffan perdeu a estrela Michelin no seu L’AND e ficamos francamente decepcionados com a decisão dos inspectores do famoso guia. Começo a ter dúvidas sobre o que na realidade é valorizado na avaliação que fazem aos restaurantes que visitam. Cá no Porto os locais premiados com estrela e os “wanna be a michelin star restaurant” são sítios bem mais impessoais em que os empregados de mesa adoptam uma postura demasiado profissional e muito pouco calorosa. No L’AND isso não acontece. Senti-me à vontade. Amei!

Boas garfadas,

Eva