Repasto, Tapas & Vinhos

Caros leitores, trago excelentes notícias. Subitamente e de forma inesperada a Maia ficou mais saborosa! Queria dar-vos a notícia em primeira mão, antes que leiam a Time Out de Outubro. Mais uns dias e já liam este post com aquele ar de desprezo de quem pensa enquanto lê “yah, ok… e novidades?“.
Abriu o Repasto, um restaurante de tapas divinais (talvez fosse mais adequado eu escrever em maiúsculas para dar ênfase à forma como adjectivo as tapas)… DIVINAIS mesmo!
Uma variedade excelente de tapas quentes e frias e uma carta de vinhos bem interessante conquistou-me logo na primeira visita!
Começamos pelas Bifanas de Berlim. Uma ideia original de sabor engraçado. A massa tipicamente adocicada das bolas de Berlim contrasta com o seu recheio. Não foi a minha preferida mas surpreendeu!
De seguida a Farinheira à Brás. Delicioso! Sobretudo para quem aprecia ovos mexidos mal cozinhados, como eu aprecio. A denominação talvez não seja a mais apropriada uma vez que o “à Brás” costuma vir acompanhado de batatinhas fritas ou em palha mas… Preciosismos. Um must try, sem dúvida!
Escabeche de sardinhas fritas, cebola, sultanas e pinhões. Um dos pratos que mais apela à tradição e à típica cozinha portuguesa juntamente com o porco de coentrada, dobrada rica de enchidos e salada de orelheira que infelizmente não provamos… ainda não provamos. Quanto ao escabeche, posso por experiência própria recomendar!
Ovo envolto em alheira de caça com migas de tomate. Tomara eu conseguir cozinhar estas iguarias. Na minha opinião, conseguir cozinhar este tipo de pratos é digno de masterchef. Para mim parece-me  inalcansável a capacidade de cozinhar o ovo au point, com a gema cremosa e brilhante envolvida pela crosta perfeitamente cozinhada e crocante da alheira. Um dos meus favoritos!
Eu não sou nenhuma gastro-fotógrafa graduada, não tenho qualquer formação em fotografia de lazer nem sequer altero as fotos que faço nas minhas visitas aos restaurantes antes de as publicar. Acreditem… “What you see is what you get”!
Croquete de rabo de boi com mostarda Dijon. Bem… Esta é sem dúvida a minha tapa de eleição. O momento alto da noite! O incrível sabor da carne lembrou-me o sabor do recheio dos pastéis de massa tenra do Cozinha da Terra, essa catedral da Gastronomia tradicional Portuguesa. Ah, que delicia! Verdadeiro prazer… Parece quase pecado.
Batatas fritas com molho aioli. É daquelas coisinhas que vai sempre bem com tudo. Sobretudo se o tudo for….
… uma mini Francesinha. Muito boa para melhorar o quadro geral de toda a degustação que anteriormente fora feita.
Ora bem, confidenciaram-me que na estreia do Repasto a mini Francesinha era bem maior e os ilustres provadores recomendaram que o chef as confeccionasse num tamanho mais mini. Pois bem, meus caros… Urge a necessidade de alterar esta situação. Proponho um abaixo assinado para alterarmos o prato de “mini Francesinha” para uma “não tão mini Francesinha” uma vez que é deveras maravilhosa. Por favor provem e opinem sobre esta questão.
Papas de milho fritas com queijo da ilha. De comer e lamber os dedos.
Salmão de cura caseira, scones de queijo e molho de morango. Eu nunca resisto a salmão fumado… Uma combinação de sabores engraçada.
Acompanhamos com Filipa Pato, branco de 2013. Uma das escolhas de eleição do Tiago, o proprietário do Repasto (e do Mizu Sushi também na Maia).

 

Para terminar.. Que belo rol de sobremesas de descrição apetecível. Estive a contemplar o menu com tanta dificuldade de decisão que o empregado arriscou ajudar-me “Recomendo a tarte de queijo fresco com morangos”. Receei que fosse mais um cheesecake daqueles que toda a gente sabe fazer e que eu raramente aprecio mas não quis fazer a desfeita.. “Ok.. Pode ser…”. Fui arrebatada pela surpreendente mistura de sabores… A base tem exactamente o mesmo sabor que a tarte de picado de abelha da Padaria Ribeiro! Amêndoa!! Uau! Os morangos cozinhados em jeito de redução num qualquer cocktail alcoólico? Não sei os pormenores por trás da receita mas talvez pergunte numa próxima oportunidade.

Crumble da casa com gelado de nata. Crumble de pêssego. Nunca experimentaram? Está na hora! Delicioso! (Um dia destes experimento cá em casa! E de ameixa também!)

Mousse de chocolate. Há sempre quem não resista… Não olhem para mim! Desta vez não fui eu!

 

Sopa dourada. Na opinião geral a melhor sobremesa da mesa. Eu honestamente não concordo porque não aprecio sobremesas demasiado doces. Para quem gosta de pudim abade de priscos, toucinho do céu e essas coisas com imensos ovos e quantidades industriais de açúcar, esta será uma boa escolha.

Sorbet de limão com Vodka. Um excelente corta sabores/digestivo.

Conheço uma nutricionista que costuma dizer “quando provar algo que lhe pareça que não vale mesmo a pena comer opte por não comer. Guarde a oportunidade de fazer a asneira gastronómica para uma ocasião em que prove algo a que não consiga mesmo resistir”.
Este não é o sítio para aplicar estes sábios conselhos… 🙂

Preço: 23€/pessoa.

Boas garfadas,
Eva