Cantina 32

Já vos contei que temos um informador a quem pagamos um valor avultado de renda semanal e que nos cede as mais fabulosas informações sobre os novos restaurantes e sobre as futuras novidades no Porto mesmo antes de se tornarem oficiais. Pois bem, aconselhados por ele fomos experimentar o novo Cantina 32.
Por estar aberto apenas há 17 dias, chegamos com a certeza de que ainda pouca gente se teria apercebido do escondidinho restaurante na Rua das Flores e que não seria dificil arranjar uma mesa para dois. Pois…
… 25 minutos depois lá nos encaminharam à mesa. Eu fiquei super entretida a tirar fotografias a tantos girissimos pormenores de decoração que nem dei pelo tempo a passar.

O menu oferece opções de pratos para “picar, petiscar e partilhar”, “sanduíches e coisas do género”, “saladas e sugestões ligeiras” e “propostas verdadeiramente sérias” e mais substanciais. Não provamos estas últimas, ficamo-nos pelos petiscos… servidos em quantidades muito generosas e de apresentação muito cuidada e apetitosa.
As nossas escolhas:
Salmão curado em mostarda, laranja, molho de chalota e ovo raspado (8,5€)
Muito bom! Recomendo! O facto de se tratar de um prato que é terminado na mesa torna-se interactivo e ainda mais interessante.
Croquetes de alheira com molho de mel e mostarda (3€).
O sabor a mostarda para mim é sempre uma boa aposta. O equilíbrio agridoce conseguido pelo mel é genial.

Morcela da Beira na brasa com maçã e cebola caramelizada (7€).
Nada de extraordinário. Estou habituada a enchidos de outra categoria. Quem me conhece bem sabe que não se trata de uma piada de cariz sexual…

Prego no pão 32 com queijo, fiambre e rúcula (7,5€) e batata frita 32 (3,5€).
Já tenho comido preguinhos melhores mas deixa-se comer…
Tacho de Tripas com feijocas (7€).
Eu sou adepta incondicional de tripas mas mal as provei…
Cous-cous de legumes (3,5€) e mozzarella fresca com tomate e pesto (6,5€).
Presunção à parte, os meus cous-cous são melhores.
A combinação de mozzarella, tomate e pesto é típica mas sempre uma opção de acompanhamento que me agrada pela frescura.
Paté de fígado de pato com compota de frutos silvestres e aniz (8€).
Super original. Divinal. Isto sim, uma tapa a não perder! Entrou directamente para o top ten da arte de tapear.
Avidagos (12,5€). Uma boa escolha, opinião de quem entende pouco do assunto.
Tivemos que voltar uma segunda vez para experimentar as sobremesas já que na primeira visita nos faltou aquele espacinho que convém sempre reservar no final da refeição…
Cheesecake de caramelo, banana e chocolate (3,5€).
A melhor apresentação de sempre. Não fiquei maravilhada com o sabor mas não sou muito fã de cheesecake. Confesso que os olhos também comem… e o empratamento é do melhor.
Panacotta com morangos e calda de nutela (3,5€).
Verdadeiro prazer em cada colher. Haverá no universo quem não goste de nutela?
Bolo de bolacha com nogat de amêndoa, mínimo 2cm (1€/cm).
Mais um pormenor surpreendente… um bolo servido ao centímetro? Original, hum? Quanto ao sabor, na minha opinião demasiado doce.
A dolorosa vem servida a rigor. Gosto!
Por ter ficado tão surpreendida com o espaço decidi lá comemorar o jantar do meu aniversário com uns amigos. Nas duas visitas anteriores tentamos fazer reserva de mesa e explicaram-nos em ambas as ocasiões que não faziam reservas. No dia da comemoração aparecemos na cantina à hora previamente combinada entre todos e pedi mesa para seis. Para meu tremendo espanto recebi como resposta “só trabalhamos com reserva e não conseguimos arranjar mesa porque está tudo cheio até ao final da noite”…
Estão a imaginar a minha cara?!Curiosamente ainda não voltei a sentir vontade de lá voltar…

Boas garfadas,
Eva