Shanghai

Chegados a Shanghai pareceu-nos que tínhamos mudado de país. As pessoas são mais discretas  e não tivemos dificuldade com os transportes. A cidade tem uma beleza imponente, repleta de edifícios modernos, bons hotéis e imensos restaurantes. Consegui pela primeira vez aceder ao  facebook e matei saudades da civilização. Acedi ao blog com bastante dificuldade e apenas em raras ocasiões mas não me deram permissão para o actualizar. Volta Passos Coelho… Estás perdoado.

No primeiro dia embarcámos num tour pela cidade num autocarro de citysightseeing e almoçámos na zona de Huangpu, junto ao Yu Garden. Aqui todos os edifícios apresentam o aspecto tradicional típico de Shanghai e encontrámos diversas ruelas de lojas variadas e restaurantes típicos. Escolhemos obviamente o que é considerado um dos melhores restaurante de dumplings de Shanghai, o Nanxiang Mantou. Os dumplings são pequenos bolos de uma massa idêntica ao revestimento dos rissóis e no interior têm um recheio que pode variar entre carne de vaca ou de frango, cogumelos, vegetais ou caranguejo e que são cozinhados a vapor. Eu não aprecio dumplings, precisamente porque o facto de serem cozinhados a vapor confere à massa uma textura estranha e deixa-me sempre a sensação de estar pouco cozinhada mas devo confessar que estes eram melhores do que os que comemos não só em Wangfujing, em Pequim como os que já tínhamos provado em Singapura.

 

À noite escolhemos um Japonês ao acaso (de nome chinês) perto da zona de People’s Square. Pedimos algumas variações ao sushi tradicional e a escolha foi soberba, o sushi era divinal. Especialmente o flamejante! Destaco também o sushi de polvo e wasabi que era uma autêntica bomba para as papilas gustativas.

 

Não conseguimos esperar pelo destino seguinte sem resistir à tentação de comida Tailandesa. Mais uma vez uma escolha ao acaso num dos shoppings de Nanjing Road revelou-se muito acertada! Perdoem-me os leitores mas não sei o nome do restaurante, posso apenas referir que é ao lado do cabeleireiro mais concorrido que já vi na vida. À porta aguardavam umas 30 pessoas, aproximadamente.
Os mais de 15 empregados do restaurante dividiam-se pelas mesas desocupadas a dormir a sesta com a cabeça pousada sobre o braço. Os poucos que não estavam na suposta hora de descanso discutiam para decidir quem ia atender a mesa dos clientes ocidentais que estavam à espera há 10 minutos. Ponderámos desistir da espera e procurar outro restaurante mas isso seria deixar que nos vencessem pelo cansaço e que ficassem satisfeitos com a nossa decisão por isso decidimos aguardar. Entretanto uma das empregadas veio registar o pedido e depois de tentarmos que entendesse o nosso Inglês acabamos por apontar no menu o que queríamos almoçar. Caril de camarão, noodles com almôndegas, frango panado com molho de amendoím e arroz frito com ananás chegaram à mesa com um aroma delicioso. Muito melhor o sabor do que o aspecto, a mistura de ingredientes e especiarias é de comer e chorar por mais. Quando quiserem comer bem na Ásia, recomendo a comida Tailandesa como primeira escolha. Ou Sushi, se o restaurante aparentar ter peixe bem fresco, claro.

Para comemorar o aniversário de casamento, ao jantar escolhemos um restaurante no The Bund, a zona mais glamorosa de Shanghai. A escolha teve que ser cuidadosa uma vez que se entrarem num restaurante que vos pareça catita é muito provável que tenham uma valente indigestão quando, no final, a conta chegar à mesa. Escolhemos o Choir, um restaurante de tapas e especialidades italianas. A empregada responsável pela nossa mesa, especialmente delicada e educada, iniciou a conversa com “Exkill me! Want to order?”. Sempre que vinha à mesa arrumávamos tudo prontamente e desviavamo-nos do seu campo de acção mas de todas as vezes insistia nas tendências suicidas… “exkill me please!”. Foi impossível evitar as lágrimas de tanto rir. Camarão ao alho, salada de caranguejo, tagliatelle com cogumelos e trufas, espaguete com marisco, risotto de cogumelos, pizza choir. Boa comida e muitas gargalhadas tornam um restaurante amoroso num jantar memorável.

 

 

Recomendo que visitem Shanghai muito mais do que Pequim, embora Pequim ofereça uma das mais “maravilhosas maravilhas” do Mundo. Mas se só tiverem uma hipótese na vida de visitar uma país asiático não escolham a China…
Aguardem pelos próximos capítulo das viagens do Tripasvisor.

Boas garfadas,
Eva